O seu navegador não suporta JavaScript!

















Por que e para que a minha marca deve estar nas mídias sociais?

As mídias sociais possuem várias potencialidades para inúmeros tipos de negócio. Mas apenas ter um perfil ou uma página em alguma das redes não basta. Aliás, se o trabalho não for feito com estratégia e cuidado, ele pode ser até mesmo ser prejudicial para a sua marca. As perguntas abaixo podem ajudar-lhe a construir objetivos para a sua empresa não só fazer um ‘perfil, mas ser ativa, de fato, nas ferramentas digitais.

ONDE ou em que redes devo estar?

Atualmente, existem centenas de redes sociais disponíveis, algumas com fins muito específicos. Se você tem uma estrutura pequena para a criação de conteúdo, prefira começar com uma rede de recursos multimídia, como o Facebook. É possível trabalhar com mensagens de texto, imagens, vídeos, interagir com o público, explorar vários indicadores de resultados, além da possibilidade de se fazer anúncios bastante segmentados. Mas, claro, isso não é uma regra. Muitos negócios mantêm perfis apenas no Twitter ou no Instagram, por exemplo, e produzem bom conteúdo. O importante é você analisar o teor das mensagens que quer transmitir e avaliar se vai ser possível manter as redes atualizadas com qualidade.

Para QUEM eu estou falando?

Geralmente, toda marca traça um perfil de público-alvo baseado em idade, classe social, escolaridade e gênero. Existe, claro, uma tendência que os seus seguidores nas redes sociais tenham o perfil parecido, mas é necessário avaliar, constantemente, qual é e como o público se comporta especificamente nos ambientes virtuais. Constantemente, conteúdos em que você não apostou muito geram resultados surpreendentes. Uma boa sugestão é a criação de personas, ou seja, personagens fictícios que representam os leitores do seu conteúdo.

COMO estou falando?

Defina a ‘voz’ da sua marca. Pense na linguagem, no tom e nos formatos de conteúdo (vídeos, textos, fotos, áudio etc). Avalie, de forma contínua, quais tipos de postagens são mais aceitas e geram mais resultados. Defina uma brand-voice.

O QUE estou falando?

Para ser claro naquilo que você diz, primeiro é preciso saber o que você quer dizer. Portanto, tenha uma linha editorial bem definida. Alguns pontos a seguir norteiam as possibilidades de produção de conteúdo que podem ser exploradas nas redes sociais:

- O conteúdo oferecido por você é relevante e útil para o público?
- Você faz posts que visam uma conversa com o seu público para avaliar como eles enxergam a sua marca?
- Você está preparado para responder ao que diz?
- O conteúdo produzido reforça os atributos da sua marca?

POR QUE estou falando?

E você já se perguntou o(s) motivo(s) da sua marca estar nas mídias sociais? Conforme já citado, as redes são ferramentas de comunicação que pouco adiantam se não forem utilizadas com objetivos claros. Os exemplos a seguir justificam o uso das plataformas e vão além da divulgação da marca:

- Aumentar o número de acessos do seu site;
- Aumentar as vendas no e-commerce;
- Aumentar a venda em lojas físicas;
- Receber mais contatos ou pedidos de orçamentos;
- Engajar a marca através da interação dos seguidores com o seu conteúdo;
- Reforçar atributos da marca;
- Monitorar como a marca está sendo vista ou comentada;
- Identificar problemas e responder aos clientes/seguidores através das redes;
- Relacionar com o seu público.

QUANDO devo falar?

Assim como no rádio ou na TV, a internet também possui horários nobres, mas, nas redes sociais, eles podem variar muito de acordo com o comportamento do público. Se você possui uma fan page no Facebook de um restaurante, por exemplo, pode ser interessante fazer um post do ‘prato do dia’ por volta das 11h. E além dos melhores horários, avalie também a periodicidade correta de postagens. Não há regra, mas há um princípio: o excesso costuma espantar seguidores, mas postar “de vez em quando” pode causar uma sensação de “lugar” desatualizado. Um outro detalhe importante é a constante análise do ‘timing’. Quem administra perfis e páginas em mídias sociais precisa estar atento a fatos relevantes para não cometer gafes como, por exemplo, divulgar um pacote de viagem promocional com destino a um país que sofreu um terrível terremoto nos últimos dias.

E não se esqueça: as mídias sociais não são um universo paralelo. Ambientes on-line e off-line devem se complementar o tempo todo.

Gostou do texto? Deixe a sua opinião!

Você também vai gostar de ler:

Saiba como e por onde começar a usar o Twitter

Cinco primeiros passos para a pequena ou média empresa começar a usar o Facebook

Mídias Sociais para empresas: Por onde (re)começar?