Guia de ferramentas e possibilidades do Marketing Digital

Portrait of happy young business woman working in home office interior in loft holding smartphone and looking at screen with smile. Cheerful office person using mobile phone, typing, texting message

Talvez, você já tenha se perguntado o que é Marketing Digital e, principalmente, o que precisa ser feito para aplicá-lo na sua empresa ou em seus negócios.

Já escrevemos um artigo aqui no blog sobre a importância do Marketing Digital e, nele, explicamos, resumidamente, o conceito. Resgatamos um trecho, veja: 

Antes de tudo, é sempre bom lembrar que o Marketing ganha sobrenomes já há algum tempo. Ouvimos falar de Marketing de Relacionamento, Marketing de Guerrilha, Marketing Institucional, Marketing de Conteúdo etc. Mas o fato é que o Marketing continua sendo o mesmo. Os “apelidos” são interessantes para segmentar áreas e projetos de trabalho, pois a definição única de Marketing exige livros e muita discussão. Mas há um conceito sucinto que define bem a razão de existência do Marketing:

Marketing – Conjunto de atividades para entender e atender as necessidades do cliente.

Ao ler a frase acima, fica mais fácil entender que as variações do Marketing sempre culminam no mesmo objetivo: entender para atender. E quando definimos o Marketing Digital, isso também se aplica:

Marketing Digital – Estratégias e ações por meio de ferramentas digitais para divulgação de marcas e produtos, conquista de novos clientes e construção de relacionamento. 

Ou seja, vamos usar as ferramentas digitais para entender e atender. A mesma coisa, simples assim.

Portanto, o Marketing, digital ou não, precisa entender as necessidades do consumidor para atendê-lo. Em consequência disso, utilizamos várias ferramentas para produzir e gerir Publicidade, Relacionamento, Gestão de Marcas (Branding) e o próprio Marketing em si. (Não sabe o que é Branding? Clique aqui e leia um artigo nosso sobre o assunto)

Vale destacar que o ambiente digital fornece métricas e possibilidades de segmentação muito mais precisos que a comunicação nas mídias tradicionais (falamos sobre isso aqui, clique para ler).

Para tudo isso ficar mais claro, fizemos um guia de ferramentas e possibilidades do Marketing Digital e explicamos, de forma resumida, como elas podem ou devem ser usadas. Cada item pode ser mais relevante para um objetivo (publicidade, branding, relacionamento etc), mas todos eles se complementam e podem ser usados em conjunto para otimizar os resultados.

Antes de passar para os itens, vale a pena examinar a imagem abaixo. É o resumo da nossa metodologia de gestão de marketing e comunicação para pequenas e médias empresas.

=> Aproveite e baixe o nosso E-book gratuito clicando aqui: Mitos do Marketing Digital

Site: vitrine do seu negócio

Já pensou se a sua loja ou o seu escritório ficasse aberto durante 24 horas por dia divulgando os seus serviços / produtos e pudesse receber orçamentos em qualquer horário?

Um site pode fazer isso por você. Mais de 100 milhões de brasileiros têm acesso à internet, sendo que a grande maioria acessa a rede pelo celular. Ou seja, estar acessível sem as barreiras do horário e localização é fundamental.

E vale uma observação: quando vamos receber uma visita, sempre arrumamos a casa e conferimos se tudo está funcionando bem, correto? Com um site, é a mesma coisa. É preciso que ele esteja preparado para receber visitas. Ele deve ser compatível com a qualidade do serviço ou produto que você vende.

Indicamos a leitura de outro artigo do nosso blog: Seis razões pelas quais a sua empresa precisa de um site para ontem

Site da Pillar Condomínios, um de nossos clientes: um dos passos para o processo de reposicionamento da marca

E-Commerce / Loja Virtual

O E-Commerce ou Loja Virtual é um canal direto de vendas, ou seja, o cliente completa o toda a jornada de compra virtualmente.  A definição parece óbvia, e realmente é. Mas, para montar um e-commerce, é preciso ter atenção para três pontos:

  • Ser visto na internet, ou seja ter estratégias de mídia, posicionamento no Google e divulgação nas Redes Sociais;
  • Ter um processo de entrega / logística confiável;
  • Monitorar e resolver problemas e reclamações.

Blog

O Blog é um espaço de compartilhamento de conteúdo. Nele, você ou a sua marca pode compartilhar artigos, informações notícias e tudo que achar relevante para se relacionar e ajudar o seu público. É importante que o blog entregue conteúdo relevante e focado nas pessoas. Ou seja, o objetivo dele é ajudar, e não vender diretamente. Um blog corporativo, geralmente, é parte integrante do site da empresa (como este blog que você acessando agora).

Leitura complementar: Por que o meu negócio precisa de um blog?

Blog da Asttter Corretora, nossa cliente: muita informção e conteúdo sobre o mercado de seguros

E-mail Marketing

O E-mail Marketing é uma comunicação direta e eficiente quando feita da maneira correta, ou seja, com conteúdo relevante para as pessoas que realmente interessam. Entendemos que o E-mail Marketing é mal visto, às vezes, por causa do uso incorreto por meio de spams e mailings inadequados.

Experimente se comunicar com uma base de e-mails de qualidade, captura por meio de seu próprio site ou conteúdo. Muitos frutos serão colhidos!

O E-mail Marketing é um ótima ferramenta para relacionamento e comunicação direta com o seu cliente, como envio de promoções exclusivas. Na imagem, uma ação da nossa cliente Asttter

Redes Sociais 

As Redes Sociais unem pessoas de interesses comuns, democratiza a produção de conteúdo e gera dados segmentados. Podemos afirmar que elas são ferramentas poderosas de comunicação, relacionamento e vendas, pois marcas e pessoas compartilham do mesmo ambiente. Por isso, as empresas precisam criar conteúdos humanizados e que correspondam às expectativas das pessoas que estão navegando em cada rede social.

Sabemos que existem inúmeras redes sociais. É importante que a sua empresa avalie em qual(is) ela deve estar presente para promover diálogo com o público certo.

Para anotar: Redes Sociais é um ambiente de conversa, diálogo e construção de marca. Se esses conceitos forem bem trabalhados, a conversão (contatos, orçamentos e vendas) virão como consequência.

Temos mais uma indicação de leitura aqui do nosso blog: Mídias Sociais para empresas – por onde (re)começar?

Conteúdo

Se falamos de blog e redes sociais, precisamos falar também de Conteúdo. É ele que vai rechear as suas plataformas e qualificar a sua comunicação.

Tenha uma pauta de conteúdo e estude o que as pessoas conectadas à sua marca precisam e querem saber. O conteúdo precisa ir ao encontro da necessidade da persona (persona é a representação ideal do seu cliente – clique aqui e leia mais!)

Para anotar: Conteúdo periódico e relevante traz percepção de marca, credibilidade e leads qualificados.

Monitoramento e SAC 2.0

Se a sua marca está produzindo conteúdo, seja em blogs ou redes sociais, é preciso monitorar a interação e conversar com as pessoas, sejam reclamantes ou não. E vale lembrar: a internet pede agilidade e eficiência na solução de problemas. Na maioria das vezes, as retratações não bastam. Foque nas soluções!

Para anotar: Saiba o que as pessoas dizem sobre o seu negócio para evitar ou gerir crises e ter novos insights.

A representação do Iceberg mostra que a gestão de conteúdo precisa estar alinhada com a gestão da marca e objetivos de negócios da organização

SEO (Search Engine Optimization)

Provavelmente, você usa o Google para fazer pesquisas na internet, certo? As técnicas de SEO tem o objetivo de posicionar o seu site, blog ou e-commerce nos primeiros resultados nos mecanismos de buscas. Em resumo, há várias maneiras estratégicas de colocar as palavras-chaves no site, blog ou e-commerce para eles serem encontrados quando alguém buscar a solução que você oferece.

SEO é um trabalho contínuo e especializado, pois, não vamos esquecer, milhões de sites estão batalhando pelo topo do Google o tempo todo.

Mídia On-line

As principais plataformas digitais (Google e Redes Sociais) permitem que você compre mídia, ou seja, faça anúncios. Por isso, além de produzir conteúdo, podemos fazer publicidade segmentada e guiadas por dados precisos, que é um diferencial.

Importante: o Retorno Sobre Investimento das mídias digitais são, na maioria das vezes, mais baratos que as mídias tradicionais.

Exemplo de post no Facebook do nosso cliente Total Clean Lava a Jato e os dados de palavras-chaves e o posicionamento delas no Google: dicas, divulgação do negócio e trabalho contínuo de SEO
Fonte da tabela: Semrush / Google

Google Adwords

Enquanto as técnicas de SEO servem para posicionar o seu site nas primeiras posições do Google, o mesmo Google permite que, com investimento financeiro, o seu site tenha visibilidade a partir de palavras-chaves que você patrocina. São os anúncios conhecidos como Adwords. Exemplo: você investe uma quantia na palavra-chave “restaurante japonês”. A partir da demanda e da quantidade de investimento que a palavra-chave está recebendo, o Google define um valor médio do clique e define a frequência que o seu site vai aparecer. O ideal, antes de qualquer projeto de Google Adwords ou SEO, é fazer um estudo das palavras-chaves relativas ao seu negócio.

Social Ads

Nas redes sociais, também podemos fazer anúncios ou aumentar a visibilidade do nosso conteúdo a partir de compra de mídia. As redes sociais mais utilizadas para publicidade são o Facebook, Instagram e Youtube, mas o Twitter e Linkedin também são ótimas opções.

Remakerting

Você já deve ter tido a experiência de acessar um E-commerce, pesquisar um produto e, ao deixar a compra para depois, começar a receber anúncios sobre o que procurou em várias plataformas. Isso não é coincidência! As ferramentas de publicidade on-line são capazes de mapear as suas pesquisas e, consequentemente, enviar anúncios compatíveis com o seu interesse. 

EXTRA: INFLUENCIADORES, PUBLIPOSTS E PUBLICIDADE ON-LINE

Influenciadores Digitais

Chamamos de influenciadores os canais digitais (ou pessoas que se comunicam por esses canais) que produzem conteúdo de grande relevância, obtém notáveis audiências e se comunicam com nichos ou se pautam em temas especializados. Os principais influenciadores digitais, geralmente, elegem um canal digital principal como mídia dos conteúdos, mas costumam estar presente em mais de uma plataforma.

Os influenciadores se tornam grandes formadores de opinião e, consequentemente, alvos de marcas que desejam divulgar ou ativar produtos ou serviços no mercado. Para exemplificar de forma simples, podemos citar as blogueiras que falam do universo feminino e fazem parcerias com marcas de maquiagem. As parcerias publicitárias não necessariamente são baseadas em produtos e serviços que pertencem ao nicho do influenciador, pois, alguns deles, ganham notoriedade de celebridade, podendo até fazerem parte de campanhas em outras mídias, como TV.

Alice Carvalhais é idealizadora do projeto Alice No País das Comidinhas e foi nossa cliente durante toda a implantação. Por meio de canais digitais, como o Facebook e Instagram, ela ajuda mães e gestantes de todo o Brasil a cuidar da alimentação dos filhos

Publiposts

Você já viu uma celebridade “falar bem” de uma marca nas redes sociais? Bem, pode ser um anúncio publicitário. Aliás, quem faz um publipost precisa avisar à audiência que o conteúdo se trata de uma propaganda. Caso contrário, o Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária (Conar) pode interferir. Isso vale para posts em redes sociais e blogs também.

Anúncios, banners e semelhantes

Talvez, essa modalidade de anúncio digital seja a mais parecida com a mídia tradicional. Determinado site, blog ou portal pode vender um espaço publicitário semelhante como faz um jornal, por exemplo. Em resumo, é a comercialização de um espaço publicitário.

Google Adsense

Google AdSense é um serviço de publicidade on-line disponibilizado pelo Google. Os proprietários de site e blogs podem disponibilizar os seus espaços para propaganda em texto, imagem e vídeo e o Google faz o intermédio entre o anunciante e o espaço onde o conteúdo será publicado. A receita gerada é dividida por meio de cliques e visualizações e o lucro dividido entre o Google e o site / blog anunciante.

O segredo é união desses itens

Cada item acima precisa de artigos e livros para serem explicados. A intenção não é esgotar os conceitos, mas pontuar que, de maneira estratégica, eles se complementam para otimizar os resultados. Dificilmente, o trabalho com um item desses acima separado será suficiente para um retorno a longo prazo.

=> Aproveite e baixe o nosso E-book gratuito clicando aqui: Mitos do Marketing Digital

Ficou alguma dúvida? Use os comentários!

Quer conversar com a gente sobre demandas para o seu negócio ou precisa de um orçamento? Faça contato com a gente clicando aqui.

Você também pode gostar de ler:

Cinco Mitos que impedem o investimento em Marketing Digital (e precisam ser derrubados)

Leave a Reply