Entenda a importância do designer gráfico (e do design) para a sua estratégia de marketing

Apesar de bastante conhecida, a profissão de Designer às vezes é pouco compreendida e, consequentemente, a importância do trabalho desses profissionais acaba não recebendo a atenção merecida. E dentre as muitas variações da profissão, eu trouxe algumas perguntas frequentes sobre o designer gráfico com dois objetivos: o primeiro é mostrar o quanto o designer é importante para o seu negócio; o segundo é esclarecer dúvidas de quem deseja se tornar um profissional da área.

Antes de continuar a sua leitura, uma informação importante: Projeto de Lei que regulamenta profissão de designer foi aprovado em 30/09/15 pelo Senado e agora segue para a sanção presidencial.

O que faz um designer gráfico?

O designer tem como função social e coletiva dar vida às aspirações humanas, entender o mundo como uma realidade a ser interpretada bem como refletir e reforçar valores sociais. Considerando que Design é um instrumento transformador, o papel do designer é promover a aproximação entre pessoas, visões e culturas, através de um conteúdo qualificado, construído através de investigação, descoberta, planejamento, metodologia e entendimento da expressão dos reais ideais de uma empresa. Entendo o designer como formador de opinião, dentro de um discurso ativo desenvolvendo novas formas de conhecimento, trazendo contribuições significativas para a sociedade. Ou seja, é um mundo de possibilidades.

No aspecto prático, o designer é percebido com significados dos mais diversos: forma e aparência visual, inovação e fusão, qualidade e desempenho, ergonomia, flexibilidade, criatividade, estilo e eficiência do produto, durabilidade, segurança de uso, resolução de problemas, capacidade de escolha, elo entre as funções de produção e marketing, chave para o sucesso, confiabilidade, satisfação das necessidades do usuário, auxílio na maximização da eficiência empresarial e além disso, pode ser relacionado com o aumento do valor agregado do produto que consequentemente resulta em um aumento de vendas e lucro. Faz, basicamente, a criação de projetos gráficos para publicações e anúncios, desenvolve o visual de jornais, revistas, livros, panfletos, anúncios, outdoors, entre outros. Também cria marca e papelaria corporativa, com o objetivo de torná-los atrativos e facilitar a leitura. Escolhe as letras para os textos, define o tamanho das colunas de uma página impressa, seleciona e padroniza cores e ilustrações e projeta embalagens. Desse modo, torna a comunicação mais eficiente e agradável. Além disso, cuida da programação visual, inclusive em espaços públicos onde a informação deve ser compreensível até para o público leigo. No campo digital, pode se especializar em websites. Pode trabalhar em editoras, agências de design e de publicidade e birôs de computação gráfica e produtoras. Pode também se especializar na área de cenografia, animação e ilustração.  

Quais são os principais obstáculos da profissão?

O design é entendido como um bom negócio em uma nova dimensão estratégica de marketing. Mas é tradicionalmente percebido como beleza, bem como arte de inovação que desperta o consumidor. Geralmente, uma empresa resiste à implementação do design por não saber o que é ou devido à resistência a mudança de comportamento o que gera uma nova linha de pensamento. Porém, o design bem desenvolvido tende a aprimorar o funcionamento econômico empresarial e está diretamente associado a um melhor desempenho financeiro, traçando um futuro mais inteligente para a companhia. A atuação do designer como gestor, com maior capacidade e ampliação na incorporação do conhecimento aliada ao gerenciamento de procedimentos empresarias resulta em soluções inovadoras e, por consequência, alcance de metas, além de destacar o design como uma ferramenta estratégica diferenciadora. Nesse formato, o designer não apenas projeta, mas se integra como gestão de design no processo.

E se eu quiser ser um designer gráfico? Quais são as dicas?

1.       Sempre busque conhecimento e autoconhecimento

O designer é uma pessoa criativa por natureza, mas isso sem metodologia não leva a lugar algum. É preciso estudar, entender Gestalt, teoria da cor, aprender a dominar os programas relacionados, principalmente o Illustrator, Indesign e Photoshop. Aprender a desenhar ou já ter esse talento ajuda muito. Além disso, é preciso gostar de planejar, pesquisar. E ter (muita) curiosidade e habilidade em encontrar soluções para problemas.

2.       Receba opiniões

É importante sempre estar aberto a opinião e crítica de outras pessoas e saber como lidar com elas de forma construtiva.

3.       Estude e aprofunde

Design não é só mexer em software, design não é só desenhar. Design é encontrar soluções para viabilizar um produto, agregar valor a uma marca e aumentar lucros para seu cliente.

4.       Ame design

Não existe nada melhor que um profissional que ama seu trabalho. Isso reflete na qualidade dos seus trabalhos e reflete nos seus clientes. Se você entrou nesse ramo odiando cada segundo, honestamente, por que continuar aqui? Um designer não só trabalha com design, mas respira design, vive design. E quando seu cliente ver sua paixão pelo design, ele será contagiado também. E os clientes dele também serão. Amor é contagioso, portanto ame ao máximo. Você só têm a ganhar.

Conclusão

Design não é apenas estética, software ou trabalhos operacionais. O designer deve transformar a criatividade e conhecimento técnico em soluções.

Conte pra gente o que você achou dos tópicos abordados nos comentários!

Leave a Reply